A CAMPANHA

Com o objetivo de prevenir incêndios nas áreas verdes de Campinas neste período de estiagem, a Secretaria do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SVDS), idealizou uma campanha de sensibilização voltada para os incêndios florestais, principalmente nas Áreas de Proteção Ambiental - APA Campinas e APA do Campo Grande. A ação integra as atividades da Semana do Meio Ambiente – Semeia 2021.

Essa campanha tem o apoio do Corpo de Bombeiros de Campinas e da Defesa Civil, órgãos estes responsáveis pelo enfrentamento aos incêndios florestais.

A Defesa Civil, coordena a Operação Estiagem 2021, que tem como objetivo minimizar os números de queimadas em áreas florestais,  teve início dia 1º de Maio e vigora até 30 de setembro, já que esta época do ano é marcada principalmente por queimadas em áreas de vegetação, baixa umidade relativa do ar, quedas bruscas de temperatura e baixa vazão dos mananciais.

Essa campanha é de extrema importância pois é necessário a conscientização das populações urbanas e rurais sobre esse problema, uma vez que se busca redução na quantidade e intensidade dos focos de queimada em nosso município  

INCÊNDIOS FLORESTAIS

Dentre os principais danos causados pelos incêndios florestais, podemos destacar: 

  • Destruição da vegetação;

  • Redução da Biodiversidade;

  • Poluição atmosférica

  • Redução da fertilidade do solo;

  • Aumento dos processos erosivos;

  • Perda da proteção das nascentes;

  • Problemas respiratórios;

  • Danos ao patrimônio privado e público (como as Unidades de Conservação);

  • Perdas econômicas

NÚMEROS

Maio a setembro de 2020:

 

268 focos de queimadas

579 vistorias preventivas

LEGISLAÇÃO

Atenção, em Campinas, a Lei Municipal nº 10.024 de 2020 proíbe provocar incêndios intencionais para preparar terreno ou limpeza de mato e lixo orgânico com multa de a partir de 19 mil reais para os infratores.

As secretarias do Verde, Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e de Serviços Públicos ficam responsáveis pela aplicação de penalidade para quem deliberadamente provocar um incêndio.

APA DE CAMPINAS
APA DO CAMPO GRANDE

A Área de Proteção Ambiental (APA) de Campinas abrange uma área de 22.300 hectares, incluindo os Distritos de Sousas e Joaquim Egídio, e os bairros Núcleo Carlos Gomes, Chácaras Gargantilha e Jd. Monte Belo. 

A APA de Campinas foi criada por meio da Lei Municipal n° 10.850/2001 e seu Plano de Manejo foi aprovado por meio da Portaria SVDS n° 01 de 2019.

 

A APA de Campinas abriga inúmeros fragmentos de Floresta Estacional Semidecidual e de Floresta Paludosa, e relictos de Vegetação Rupestre nos lajedos rochosos, além de Campos de Várzea nas planícies de inundação e fundos de vale.

Durante as oficinas participativas para a elaboração do Plano de Manejo da APA, a ocorrência de incêndios florestais, foi considerado como uma das principais causas de degradação ambiental, da flora e fauna da região, conforme disposto no documento https://www.campinas.sp.gov.br/arquivos/meio-ambiente/tomo-4-zonemento.pdf

A APA do Campo Grande foi criada por meio do Decreto Municipal nº 17.357/11 e ratificado pela Lei Complementar nº 35/2012.

 

Essa unidade abrange uma área de 959,53 hectares e contém fragmentos de floresta estacional semidecidual (47,56 ha), Cerrado (28,30 ha), fragmento de transição entres estes (20,36 ha), mata mista (13,90 ha) e, em áreas de inundação, fundos de vale e campos de várzea (53,73 ha), totalizando uma área vegetada de 163,85 ha.

Dentre seus princípios e diretrizes de criação, estão: 
 

  • a preservação dos remanescentes de mata nativa, bem como a proteção das faixas de preservação permanente e a recuperação das matas ciliares;

  • a prevenção de incêndios na área rural.

O Conselho está em processo de formação e, para acompanhamento desse processo, clique aqui.